CRUZEIRO – Capital da Revolução de 1932

Prezado LEITOR - NOTA INICIAL - No final desta matéria existem atalhos para informes detalhados sobre a Revolução Constitucionalista de 1932, com textos, desenhos, documentos históricos e fotos. CONFIRA!

------------------

CRUZEIRO - Capital da Revolução de 1932

Em 2002 nasceu dentro da Associação Comercial de Cruzeiro o projeto “CRUZEIRO, A CAPITAL DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932”, com o objetivo de criar novas perspectivas em relação ao desenvolvimento do município com a conseqüente geração de empregos na cidade e certamente em toda a região do Vale Histórico, além de promover a valorização do patrimônio histórico-cultural de Cruzeiro e de São Paulo.

Em 2004 a Câmara Municipal de Cruzeiro aprovou a lei n.3635 de 2 de julho de 2004 que “Institui o dia 9 de julho, para comemoração anual e oficialmente pelo Município, como Cruzeiro, a Capital da Revolução Constitucionalista de 1932”, e tramita na Assembléia Legislativa de São Paulo o projeto de lei n.1390/2007 com a finalidade de conceder este honroso titulo honorífico em âmbito estadual à nossa cidade.
Essa iniciativa foi inspirada em fatos que ocorreram durante a Revolução em Cruzeiro, sendo alguns detalhados a seguir:

1- O Grande Túnel da Mantiqueira, mais conhecido como Túnel de Cruzeiro, na divisa com a cidade de Passa Quatro (MG) e situado numa região de exuberante beleza natural, é um dos locais mais citados por ex-combatentes que lutaram na Revolução de 32 no Vale do Paraiba. Este túnel, palco das lutas mais sangrentas deste conflito, foi construído por determinação do Imperador D.Pedro II e inaugurado em 5 de Março de 1883, e ainda há preservadas ao seu redor valas utilizadas como trincheiras pelos paulistas durante as batalhas contra as tropas federais.
2- O Armistício, termo de cessação do conflito, foi assinado na Convenção Militar de Cruzeiro em 2 de Outubro de 1932, no Grupo Escolar Dr. Arnolfo Azevedo transformado em quartel general das tropas paulista durante a Revolução Constitucionalista, onde hoje localiza-se a Praça 9 de Julho.
A Revolução foi o maior confronto militar do Brasil no século XX e os ideais de Constitucionalização pelos quais se iniciou prevaleceram, pois foram marcadas as eleições para a Assembléia Constituinte e realizadas a 3 de Maio de 1933.
A Assembléia Constituinte reuniu-se nos últimos meses de 1933 e elaborou a Constituição Brasileira, promulgada pelo Presidente Getúlio Vargas em 1934. Assim, a Revolução de 1932 saiu-se vitoriosa: “ São Paulo Unido Num Brasil Forte”.
3- “Um Paulista Morre, Mas Não se Rende!/em>”. Esta frase marcou a Historia de um dos heróis paulista que trombaram pelos ideais de redemocratização do brasil durante a Revolução constitucionalista de 1932, o Capitão do Exército Manoel de Freitas Novaes, (“ Capitão Neco”), nascido em Cruzeiro em 15 de novembro de 1894 e falecido nesta cidade durante os episódios desta revolução. Dentre os valentes da frente norte de batalha, Capitão Neco teve uma posição de destaque pela figura forte e nobre de soldado entregue inteiramente a causa que prometera o seu apoio, assumindo logo a 10 de julho de 1932 o controle da Frente Paulista que ia do túnel da Mantiqueira até Vila Queimada, divisa do Estado do Rio de Janeiro.
Em 05 de Agosto , quando preparava um contra-ataque as Forças Federais na região da Estação de Bianor, divisa com o Estado do Rio de Janeiro, foi surpreendido com a ordem que dizia “ Renda-se Paulista!”. Virando-se estava sozinho frente a um grupo de inimigos com as armas apontadas, ao que respondeu “um paulista morre, mas não se rende!” tendo sido metralhado e levado ainda com vida a Santa Casa de Cruzeiro aonde veio a falecer.
Pelo exemplo de amor a sua terra a ao ideal de liberdade e democracia, o capitão Manoel de Freitas Novaes recebeu inúmeras e justas homenagens, sendo que os seus restos mortais repousam hoje, junto aos de outros heróis paulistas que morreram pela pátria, no mausoléu de 32 no parque de Ibirapuera, onde no alto das três portas de entrada lêem-se as palavras de Machado Florence : “ Viveram Pouco Para Morrer Bem; Morreram Jovens Para Viver Sempre”.
4- Cruzeiro era considerada estratégica tanto por tropas constitucionalistas quanto pelas federais, fazendo divisa com o Estado de Minas Gerais e Próxima ao Estado do Rio de Janeiro. Por este motivo este motivo, dois dias após o anuncio da revolução, cem soldados Paulistas já ocupavam o Grande Túnel, sendo que no dia 15 de julho de 32 a cidade sofreu o seu primeiro bombardeio. Cruzeiro é uma das cidades mais lembradas por historiadores e ex - combatentes da Revolução de 1932.

A Associação Comercial de Cruzeiro acredita que esta iniciativa ira proporcionar um grande foco de atenção, interesse e visibilidade estadual e nacional tanto para Cruzeiro como para região, promovendo inúmeros benefícios como o desenvolvimento do turismo ecológico e histórico, atraindo investimentos em diversas áreas como lazer, entretenimento e hotelaria; resgate, valorização e preservação da memória e do patrimônio histórico-cultural de São Paulo e do Brasil. Cruzeiro destaca-se no Vale do Paraiba como um dos municípios com melhor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Estado de São Paulo, calculando a partir de indicadores de educação, longevidade e renda, possibilitando uma excelente qualidade de vida aos seus moradores e visitantes, possui também, dentre as cidades com cerca de 80a 100 mil habitantes, o menor índice de criminalidade do eixo São Paulo – Rio de Janeiro, segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública.
A cidade de Cruzeiro, além das belezas naturais como uma deslumbrante visão da Serra da Mantiqueira, possui pontos turísticos de grande interesse como:
a)- O Grande Túnel: com 996 metros de comprimento, está localizado a uma altitude de aproximadamente 900 metros, na divisa de São Paulo com Minas Gerais e finaliza um dos trechos de ferrovia (Cruzeiro/ Alto da Serra, com cerca de 20 Km), mas belos de nosso pais.
b)- Teatro Municipal Capitólio: inaugurado em 03 de setembro de 1930, é considerado em função dos seus traços arquitetônicos uma réplica do scala de Milão, tem Capacidade para 400 pessoas e é considerada uma das mais belas e importantes casas culturais da região.
c)- Pico do Itaguaré: com cerca de 2.300 metros, o terceiro mais alto do Estado de São Paulo, também é conhecido como “Gigante Adormecido” por sua semelhança com o rosto humano e oferece condições para a pratica de montanhismo e alpinismo.
d)- Museu Major Novaes: foi construído em 1840 retratando os traços arquitetônicos do Brasil Império. Está localizado na região central da cidade e nele estão expostos objetos e mobiliário da antiga Fazenda Boa Vista e o arquivo de fotos e publicações que retratam a história do município. Está aberto diariamente à visitação e para trabalhos de pesquisas.
Sendo aprovado o projeto de lei considerando Cruzeiro a capital simbólica do Estado, o Museu Major Novaes poderá vir a ser a “ residência oficial do Governador” em nosso município.
e)- Estação Ferroviária-Trem da Serra: um dos prédios mais antigos da cidade de Cruzeiro, construída em 1884, foi um dos grandes marcos do desenvolvimento do município e é o ponto de partida do “ Trem da Serra”, locomotiva inglesa de 1928 - “ Maria Fumaça”, levando turistas para um inesquecível passeio.

postado em 24-5-2008 por: Sérgio Henrique Elache Ribeiro Duarte, biomédico, vice-presidente da Associação Comercial de Cruzeiro.

=== 2010 - ATUALIZAÇÃO COM ATALHO a noticias, imagens e documentos ===

1932

Uma briga na Justiça marca a data que relembra os 78 anos da Revolução Constitucionalista. Desde 2002, o Obelisco, onde fica o mausoléu em homenagem aos heróis de 32, está fechado para visitas. Apenas três vezes ao ano o patrimônio é aberto ao público. Projetado pelo escultor Galileo Emendabili, o obelisco carrega a simbologia do número 9 : tem 72 metros de altura (7+2=9); da cripta ao topo tem 81 metros (8+1=9), sendo que 81 também é o quadrado de 9; pela soma aritmética de 72 e 81, também se chega ao número 9 (7+2+8+1=18 (1+8=9)). (vide atalho abaixo)

"Velha e sempre nova"

Vejamos um pouco da importância da Faculdade de Direito do Largo S. Francisco na Revolução de 1932. (veja atalho abaixo)

Aurífero prédio

Além do Obelisco, SP tem outros monumentos que relembram a Guerra de 32. Um deles foi construído com a sobra do montante arrecadado na campanha "Ouro para o bem de São Paulo", que visava reunir fundos para sustento da Revolução. De fato, o Movimento de 1932 teve seu findar antes da aplicação da maior parte dos recursos. E com medo de que Getúlio Vargas garfasse o dinheiro, o comando das forças paulistas doou os fundos à benemérita Santa Casa de Misericórdia, que construiu um prédio que retrata a bandeira paulista, chantado no Largo da Misericórdia, no coração de SP. Os migalheiros, ao passar por ali a partir de agora, no burburinho da esquina da rua Direita, haverão de reverenciá-lo, como merece. Conheça essa história. (ver atalhos abaixo)

Consulte mais detalhes sobre o movimento de 1932, navegando até os atalhos abaixo:
OURO PARA O BEM DE S.PAULO – clique aqui

A REVOLUÇÃO NO LARGO, ou O LARGO NA REVOLUÇÃO – clique aqui

FONTE: esses atalhos remetem à matérias publicadas no sitio "www.migalhas.com.br".

=== CONSULTA NESTE SITIO ===

Existem outras matérias relacionadas com o tema Revolução Constitucionalista de 1932:

( Clique aqui )
( Clique aqui )
( Clique aqui )
( Clique aqui )

VOLTAR ao topo

Sérgio Henrique Elache Ribeiro Duarte - ACC - Cruzeiro (SP) - 5/24/2008

Nome
Email
Fundo de Tela:
Escolha sua configuração e baixe o seu:
Desenvolvimento: Aion Informática