Grandes datas e nossos heróis nacionais

“É a história o grande espelho da vida humana, que instrui com a experiência e corrige com o exemplo.” (Bossuet). Ter noção da história de nossa Pátria é assinalar e abrir alas a todos os vultos brasileiros, que, com seus nobres feitos, a engrandeceram e a revitalizaram, pois, hoje, os idos gloriosos distantes trazem o futuro presente. O tributo, o respeito e o acatamento pelos grandes heróis de nosso País devem ser um enlaçamento de todos nós, de profunda gratidão, respeito, reconhecimento e justiça aos que se tornaram paradigmas de civismo às gerações presentes e vindouras, com seus abrasivos esforços patrióticos, sacrifícios e assomos de intrepidez e de temeridade, assoalhando e timbrando, através dos tempos, a alvorada da efervescência de nossas esperanças.

Nobilitar com orgulho os arquétipos do passado, que alicerçaram com as suas jornadas heróicas, a grandeza e a magnitude de nosso País. É tornar-se digno de medrar os frutos que eles sazonaram, na maioria das vezes, com o holocausto da própria vida. Alguns países possuem edifícios amoldados para conservar as cinzas de seus grandes vultos históricos. Recebem esses santuários sagrados a designação de Panteões (Panthéons), sendo entre os mais notabilizados o de Santa Genoveva, em Paris (França) e o de Campo de Marte, em Roma (Itália). Esses templos acolhem os restos mortais de seus grandes nomes, homenageiam, reverenciam e veneram, com profunda gratidão, os valores morais, dignificantes e patrióticos dos heróis do passado, que à mercê de suas longanimidades, criaram um halo de esplendor, coragem e patriotismo, ajudando a edificar a história e a magnificência de suas pátrias.

No coração de cada brasileiro, precisa estar presente o culto imperecedouro e rendido pela gratidão nacional aos grandes vultos do seu passado, aos benfeitores da Pátria, da sua hegemonia, da sua liberdade, da sua independência e de seu progresso. Uma consideração legítima de gratidão aos heróis que arquitetaram e forjaram a nossa nacionalidade, as nossas tradições e os umbrais da imortalidade de nossa história.

Apreciar os fatos de nossa história, assimilando seus ensinamentos, é ajuizar as lutas e os sacrifícios de nossos heróis e as suas glórias e triunfos. É pela celebração das grandes datas que fazemos o ligame do presente ao passado, avigorando todas as conexões da fraternidade. Fazendo reviver a magnanimidade dos grandes beneméritos da Pátria e cultuando suas reminiscências nos sentimos estimulados e os nossos corações se sentem preenchidos de santo orgulho. “Procure tempo para olhar o passado, assim você será capaz de trazer de volta suas experiências e investi-las no seu futuro.” (Jim Rohn).

É a mais perfeita e completa escola popular de cidadania, que nos faz revitalizar os mais abarcantes e altivos conceitos, reanimando a memória histórica e o patriotismo que se encontra incógnito em nosso coração, repensando e rememorando o passado para iluminar os impasses do presente. “As nações como os homens ficam senis quando perdem a memória.”

O autor, coronel Iracy Vieira Catalano, é membro do Lions Clube de Bauru Centro

Artigo publicado no Jornal da Cidade (www.jcnet.com.br), ano XLII, edição 14266, 6-5-2009, Opinião.

Iracy Vieira Catalano - Jornal da Cidade - Opinião - 5/6/2009

Nome
Email
Fundo de Tela:
Escolha sua configuração e baixe o seu:
Desenvolvimento: Aion Informática