A GRANDE FANTASIA TRIUNFAL SOBRE O HINO NACIONAL

Visitante, diretora de escola de Ballet na cidade de Santana de Parnaíba (SP) indaga acerca da proibição de coreografar conhecida e consagrada obra musical do século XIX, que tem o Hino Nacional Brasileiro como base.

Veja a resposta da nossa organização:

Você deve estar se referindo a obra "A Grande Fantasia Triunphal sobre o Hino Nacional Brasileiro" de L. M. Gottchalk, que é uma peça musical consagradíssima, sem qualquer restrição de uso e execução no território nacional.

A Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro, também conhecida como “Marcha Solene” é a música majestosa que inicia as propagandas eleitorais de um partido político brasileiro (PDT) e que foi utilizada como fundo musical na transmissão do funeral de Tancredo Neves.

O compositor, pianista e regente norte-americano Louis Moreau Gottschalk (1829-1869) foi um dos primeiros artistas estrangeiros a empolgar o público brasileiro no tempo de D.Pedro II.

Sua obra musical “Grande Fantasia Triunfal com Variações sobre o Hino Nacional Brasileiro”, é de grande sucesso no repertório não só de nossos pianistas, como nos de outros países. A música, baseada no original de Francisco Manoel da Silva, foi dedicada à Condessa d”Eu , a Princesa Isabel, filha de D. Pedro II que, como todos sabem, assinou em 1888, a Lei Áurea, acabando com a escravidão no Brasil.

A estréia da “Grande fantasia Triunfal” ocorreu no Rio de Janeiro em 1869, num grande concerto, sendo executada por 650 músicos.

Segundo historiadores, em carta que escreveu para seus amigos nos Estados Unidos, Gottschalk afirmou :“ Os meus concertos no Brasil são um verdadeiro furor… o Imperador, a família Imperial e a Corte não perderam um só dos meus concertos e a minha “Fantasia Triunfal” agradou a D. Pedro II. Cada vez que me apresento, tenho que tocar essa obra… “.

Em 1973, quando a vida política no país ainda era comandada por militares, uma consulta de origem desconhecida à Comissão Nacional de Moral e Civismo, ameaçou por algum tempo de proibição a peça de Gottschalk. O processo consumiu alguns anos até que, graças principalmente ao parecer do musicólogo Alfredo Melo, mostrando a diferença entre “arranjo” e “variação” a que se refere a Lei 5.700/71, classificou “essa interdição como um “crime de lesa-cultura”. Foi quando a “Grande Fantasia Triunfal”, finalmente foi liberada.

No dia 07 de setembro de 1981, junto ao Monumento do Ipiranga em São Paulo a A Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro foi executada para um publico estimado em 800 mil pessoas, no melhor estilo “gottschalkiano”

Veja detalhes sobre esses episódios históricos no texto de Roberto Muggiati, disponivel na rede mundial de computadores – clique aqui

Liberdade de expressão

Também se deve considerar que um principio constitucional hoje vigente, o da liberdade de expressão, é a garantia maior para que se responda positivamente, pois é perfeitamente permitindo coreografar e apresentar a obra de de Gottaschalk, como a escola de Ballet pretende.

Seria muito oportuno prévia discussão do tema com os alunos e até mesmo preparar nas apresentações um esclarecimento prévio ao publico acerca da obra, do autor e do respeito ao Hino Nacional que ela retrata. Além do material disponível em publicações especializadas sobre a obra, neste sitio está publicado um significante material sobre a Lei 5.700/71.

Quem foi L.M. Gottschalk ?

Louis Moreau Gottschalk, da Escola Nacionalista Norte Americana, nasceu em 1829 e foi criado em Nova Orleans onde vivenciou uma imensa variedade de influências musicais.

Foi como aluno de Berlioz que herdou o gosto por concertos de proporções gigantescas, com a participação de mais de mil executantes entre regentes instrumentistas e cantores.

Uma viagem a Cuba em 1854, marcou o início de uma série de viagens à America Central e América do Sul e, em meados de 1860, Gottschalk havia se estabelecido como o mais importante pianista do Novo Mundo.

Faleceu no Rio de Janeiro em 1869.

ASSISTA O VÍDEO DA OBRA de Gottaschalk

Uma das interpretações mais primorosas dessa obra é a da premiadíssima pianista brasileira Eudóxia de Barros, que você pode assistir aqui:



Eudóxia de Barros é entusiasta da obra

Natural de São Paulo, Eudóxia de Barros, conheceu os primeiros acordes do piano, com a avó paterna. O instrumento a consagrou como uma das maiores musicistas eruditas do país, com notável reconhecimento no exterior.

Ela foi premiada com as quase 100 músicas de compositores brasileiros dedicadas a ela, e com a sua eleição, em 1989, para a Academia Brasileira de Música, fundada por Villa-Lobos, ocupando a cadeira nº 14, cujo patrono é Elias Álvares Lobo.

Em sua trajetória, apresentou-se em várias cidades francesas, suíças, americanas, mexicanas, inglesas e portuguesas, além de Bogotá, Quito, Lima, Assunção, La Paz, Cochabamba, Panamá e Montevidéu. Anualmente, Eudóxia contabiliza de 50 a 60 concertos no Brasil e no exterior.

Sempre deu especial atenção ao estudo de compositores brasileiros, influenciando o meio artístico nacional. Seus compositores preferidos são: Osvaldo Lacerda, Camargo Guarnieri, Villa-Lobos e outros. Tem predileção pela linha nacionalista, de composições baseadas em músicas do folclore brasileiro.

Em 25 de janeiro deste ano (2010), Eudóxia fez a abertura da solenidade de posse do novo reitor da Universidade de São Paulo (USP), professor João Grandino Rodas, na Sala São Paulo, executando em solo, a "Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro", de Gottschalk, seguida de concerto pela Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP), sob a regência da maestrina Lígia.

(fonte: “O Progresso”, o Jornal do MS (www.progresso.com.br), matéria “PIANISTA – Eudóxia de Barros encanta o público” de 3.5.2010, assinada por Hakeito Almeida)

======= MENSAGEM RESPONDIDA =======

-------------------------------------------
Contato
-------------------------------------------
Data : 5/22/2010 2:22:25 PM
-------------------------------------------
Nome : Mariana ------
Email : marian--------- @ig.com.br
Cidade : Santana de Parnaiba

Mensagem: Sou diretora de uma escola de Ballet e encontrei uma musica gravada, que se chama Fantasia sobre o Tema do Hino Nacional, de autoria de um compositor Frances (nao me lembro o nome) e gostaria de saber se posso coreografar essa musica e apresentar a coreografia.
Nao se trata da substituicao do Hino pela coreografia mas uma forma de homenagiar nossa nação.
Ha alguma restricao legal à esta atitude de coreografar esta musica?
Aguado vosso retorno,
muito obrigada,
um abraço,
Mariana.


==================

VOLTAR ao topo

Mariana, Santana de Parnaíba (SP) - FALE CONOSCO - 5/22/2010

Nome
Email
Fundo de Tela:
Escolha sua configuração e baixe o seu:
Desenvolvimento: Aion Informática