Encontro de culturas

Hoje comemora-se o Dia do ‘Descobrimento’ do Brasil; apesar disso, muitos não se lembram da importância da data .
De acordo com o calendário de datas cívicas, hoje, 22 de abril, comemoramos o Dia do Descobrimento do Brasil. Embora o assunto motive muitas aulas na escola e refira-se a um fato fundamental para a história nacional, muitas crianças e adultos não se lembram do seu significado. Por causa disso, o JC Criança saiu a campo para levantar os motivos desse esquecimento.
De acordo com alguns especialistas, uma das razões para o esquecimento do que motivou o 22 de abril é o fato da data não ser considerada feriado nacional. Mas o principal motivo está relacionado justamente ao termo ‘descobrimento’ do Brasil. Seria certo utilizá-lo?
Para responder a esta pergunta, basta analisar os fatos: quando os europeus aportaram nas terras que viriam a ser o território brasileiro, encontraram diversos grupos indígenas que já habitavam o local. Portanto, o mais correto é se referir a este episódio histórico como a chegada dos portugueses ou o encontro de duas culturas completamente diferentes: a nativa e a européia.
A professora de história Regina Tasnno, que dá aulas no Colégio Seta e na rede pública de Lençóis Paulista, atribui ao termo ‘descobrimento’ o motivo pelo qual a palavra saiu do currículo escolar. “A maior parte dos educadores utiliza a ‘chegada dos portugueses no Brasil’, que já era ocupado por diversas tribos de nativos. Como este fato traz como conseqüência uma grande exploração, hoje não se ressalta tanto esse dia”, explica.
A professora de história, Valmira Caldeira, da escola estadual Mercedes Paes Bueno concorda com Regina. “Não falamos mais em ‘descobrimento’. Por um tempo passou a se dizer invasão, mas não podemos usar este termo porque desta forma estaríamos desrespeitando e desconsiderando a cultura dos europeus. O correto é dizer encontro de culturas dos silvícolas, ou ameríndios, com europeus”, diz.
Para Valmira, muitas crianças e também adultos se esquecem do dia 22 de abril justamente porque este encontro acabou com a cultura indígena, provocando a dizimação do índio. Segundo Regina, a estimativa era de que havia de 5 milhões a 6 milhões de nativos habitando o território brasileiro em 1500.
O choque entre essas duas culturas, com costumes e tradições diferentes, foi um dos pontos ressaltados na carta escrita por Pero Vaz de Caminha a Dom Manuel I, na época rei de Portugal. “Na carta, ele descrevia a estranheza deste encontro. As índias, por exemplo, não escondiam suas ‘vergonhas’, enquanto para o homem medieval a idéia do nu fazia parte do contexto romântico e sonhador”, explica a professora Regina.
Por outro lado, lembra Valmira, a entrada da cultura européia trouxe diversos benefícios para o Brasil. “A cultura portuguesa deixou como herança as práticas que evoluíram a partir da Idade Moderna na Europa. Tudo isto foi trazido para o Brasil, desde o catolicismo até a mentalidade européia de civilização”, aponta.
Por essa razão, a data de 22 de abril não ser esquecida, mas utilizada como reflexão a respeito do nosso passado. “Embora esta visão da história sobre descobrimento venha sendo contestada há um bom tempo, não devemos esquecer a importância da data”, reforça Regina.
NOTA PATRIOTISMO: esta matéria foi divulgada no JC-Criança, suplemento dominical do Jornal da Cidade (JC-Bauru-Sp-Brasil), edição de 22-4-2007, e é assinada pela Jornalista Cristiane Goto e está sendo replicada nesta página pela sua importância e objetividade na linguagem de comunicação com o público infantil.

Cristiane Goto - JC Criança - JC-Criança - 4/22/2007

Nome
Email
Fundo de Tela:
Escolha sua configuração e baixe o seu:
Desenvolvimento: Aion Informática